segunda-feira, 9 de novembro de 2009

ATENTADO CONTRA O SER HUMANO.

O governo do "MAROLINHA" confirma seu desrespeito, falta de pudor, etc etc etc. Possui um Ministério da Educação, ineficaz, ineficiente e desnecessário. Durante todo o mandato do atual presidente, fez o que em prol da educação no país? Serve apenas onerar os cofres federais, quando joga pela janela 168 milhões de reais no episódio do ENEM. Estabelecimentos de ensino em todos os níveis da educação são 'imprestáveis". Os públicos, verdadeiros depósitos de analfabetos, desordeiros e traficantes, dentre outros adjetivos. Os particulares, verdadeiras minas de captação de recursos para seus proprietários. Somemos a isto a inexistente preocupação de uma Presidencia da República, ocupada por alguem que por ter apenas o curso primário, deveria primar pela educação exemplar, a ser oferecida aos estudantes do país. Mas as preocupações a nação já conhece, faz tempo. De que adianta o MEC criticar a universiddade que expulsou um ser humano, que foi agredido da pior forma possível. Que carregará para o resto da vida o trauma psicolõgico e moral. Quem pagará mais esta conta? O maior responsável pelo crasso erro, é o Estado. Duvi-de-o-dó, que se o inusitado fato ocorresse com um familiar dos "quadrilheiros" de Brasília, o estabelecimento de ensino que se diz 'superior', continuasse a ter a devido registro e aprovação do MEC. Mais uma vez, o povo 'que se lixe".

2 comentários:

Wanderley Elian Lima disse...

Estamos todos indignados com o ocorrido. Voltamos à Idade Média.
Um abraço

Deficiente Ciente disse...

Você tem toda razão, amigo!

Segundo relatório da Unesco o Brasil aparece na 80ª colocação no índice de Desenvolvimento da Educação entre 129 países.

O estudo ainda aponta que o Brasil é o único país latino-americano com mais de 500 mil crianças em idade escolar sem estudar. E o ministro da educação, Fernando Haddad, diz que o Brasil está caminhando bem rumo as metas definidas pela Unesco.

Alunos estão completando o 6º ano(antiga 5ª série) sem saber o básico da educação, ou seja, ler e escrever.

Não é porque o nosso presidente estudou muito pouco, que vá relegar o ensino brasileiro para segundo ou terceiro plano.

A situação do ensino brasileiro é realmente inadmissível e vergonhosa!

abraços
Vera