terça-feira, 24 de dezembro de 2013

SAINDO PARA UM BREVE RECESSO.

COMENTA O INDIGNADO:
DESEJAMOS A TODOS BOAS FESTAS E UM ANO NOVO REPLETO DE REALIZAÇÕES. 

terça-feira, 17 de dezembro de 2013

BOA PORRADA!!!!!!

COMENTA O INDIGNADO:
Será que desta vez a ex-guerrilheira, o Marolinha e seus asseclas aprendem?

Embora as pesquisas amestradas e a propaganda chapa-branca vendam o "fato consumado" de que Dilma Rousseff se reelege (inclusive no primeiro turno), a conjuntura política e econômica real demonstra o exatamente o contrário. A Oligarquia Financeira Transnacional, que controla de fato o Brasil, já decidiu que o ciclo de poder presidencial do PT no Brasil precisa ser encerrado em 2014 – contrariando as previsões ufanistas de Lula da Silva de uma hegemonia petista até 2022. A Petrobras é o calcanhar de Aquiles do governo. Na Assembleia Geral Extraordinária marcada para o próximo dia 16, às 15 horas, no Rio de Janeiro, o PT sofrerá um dos ataques diretos mais contundentes aos seus esquemas. Outro fator que tende a ser decisivo para a derrota do PT ano que vem é a oposição econômica que lhe será promovida pelos maiores bancos. Itaú e Bradesco vão apostar na oposição: Aécio Neves ou Eduardo Campos. Postura idêntica a da Rede Globo (que já começou a pancadaria tirando o emprego de José Dirceu no hotel que seria o QG da campanha de 2014). A sabotagem dos controladores globalitários, promovida nos bastidores econômicos, contra Dilma Rousseff já começou e tende se ampliar no decorrer de 2014. Acusada midiática e justamente de ter derrubado o crescimento brasileiro e aumentado a inflação e a dívida interna, bagunçando as contas públicas, Dilma vai ser alvo de ataques diretos ao seu modelo nada eficiente de gestão em suas empresas símbolos do capimunismo no Brasil: a Petrobras e o BNDES. Dilma corre até o risco de ser responsabilizada, judicialmente, por várias decisões que causaram, vem causando e devem causar ainda mais prejuízos aos investidores da Petrobras. Antes de ser alçada pelo Presidentro Lula para o trono do Palácio do Planalto, Dilma foi a "presidenta" do Conselho de Administração da Petrobras – cargo que é ocupado pelo desgastado Guido Mantega – que já pode ser pintado como o gestor do fracasso econômico da própria presidenta que tenta a reeleição. Investidores da Petrobras – principalmente os internacionais – apostam que o governo não resiste a uma auditoria judicial, séria e independente, em vários negócios: nas refinarias Abreu Lima e Passadena, no Comperj, na Companhia de Recuperação Secundária (CRSec), na Petrobras International Finance Company S.A (PFICO) e na Gemini (caso que agora, surpreendentemente, aparece no noticiário que sempre o abafou. As fragilidades na Petrobrás atingem mortalmente Dilma, Mantega e Lula – padrinho do ex-presidente da empresa, José Sergio Gabrielli, e de seu diretor financeiro Almir Barbassa (no cargo há três governos).Só a petralhada canalha e os petistas fanáticos fingem não perceber que o PTitanic já bateu no iceberg que irá afundá-lo a partir de outubro de 2014. A próxima traição programada contra o PT é o rompimento do pacto com PMDB (partido que funciona igualzinho à Rede Globo: sempre apoia quem está no governo). O movimento de rompimento com o PT será comandado pelo vice-Presidente Michel Temer (maçom que obedece ao que seus mestres britânicos da oligarquia transnacional ordenam) e pelo desesperado Sérgio Cabral Filho (que dará o troco ao "amigo" Lula por investir na candidatura ao governo do Rio do petista Lindberg Farias). O PT não resistirá a 2014. Esta é a aposta dos agentes econômicos internacionais. E se o Brasil não vencer a Copa da Fifa, a derrota programada será socialmente ainda mais desgastante para petistas e petralhas que, a partir de agora, devem investir na procura do bote salva-vidas no PTitanic. Na língua dos controladores globalitários, "the game is over".
Fonte: Jorge Serrão - serrao@alertatotal.net

quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

COMENTA O INDIGNADO:
Agradecendo ao amigo RoyLacerda e equipe do CPIBRASIL.COM a permissão de publicar a matéria abaixo.

Tudo onde verdadeiramente a ex-guerrilheira pôs a mão, deu zebra. A começar por uma loja que montou em Porto Alegre e que não deu certo. Quando ministra das Minas e Energias, foi a responsável pelo maior apagão da história do país. E para não perder o costume, o sistema elétrico brasileiro já está falido. Há mais de tres anos que não se faz nada no setor. Não há investimentos, novos equipamentos e muito menos manutenção.  Brasília por exemplo é um caso latente do vexame no setor. Raro é o dia, onde não a falta de energia não ocorre. Onde localiza-se a sede da Eletronorte, é constante a interrupção do fornecimento. É caótica a situação da Eletrobras e suas subsidiárias que estão literalmente de braços cruzados. As grandes hidroeletricas prometidas pelo Governo estão com obras atrasadas e não têm 50% construídas. Belo Monte (a maior) está suspensa pela justiça e mais de 30 milhões já gastos. A Petrobras, de 'pires na mão'. E para completar, de nada adiantou todo esse tempo, as declarações do ministro Mântega (conhecido nos bastidores como o língua presa), fantasiosas de que estaria sob controle. O pífio PIB, assusta. A atual queda de 0,5% na economia, comprova que o Brasil faliu. O risco de haver uma recessão é iminente.
Contra fatos, não há argumentos!!!!! E AGORA, senhoraPRESIDANTA?
Por: Roy Lacerda.

quinta-feira, 28 de novembro de 2013

O STF AMARELOU.

COMENTA O INDIGNADO:





Lamentavelmente a suprema côrte do Brasil, adia o julgamento das perdas dos poupadores em cadernetas de poupança. A espera dos brasileiros para ver ressarcidos os recursos que lhes foram apropriados indevidamente (roubo), terá que esperar por mais algum tempo. E nós que pensávamos ter um STF forte e capaz de fazer imperar a justiça desse país, estamos decepcionados. Mais uma vez, constatamos que a classe política tem força e manda no Brasil. Se não vejamos: semana passada, o presidente da Câmara Federal anunciou públicamente que não iria respeitar a decisão do presidente do supremo, no que concerne à cassação imediata dos condenados e presos do mensalão. Ora, lei é lei. Não é fita durex para se dizer que esta lei não pegou. Decisão suprema, é decisão suprema! Cumpra-se. O desrespeito é total e altamente tolerável pelos magistrados. Em um país sério, (e o Brasil não o é), o senhor Henrique Alves(presidente da Câmara), estaria preso in loco.
Os Ptralhas conseguiram rapidinho um emprego(?) para o cumpanhêro " Mensalinho" Dirceu: casa, comida, roupa lavada e uma mesadinha de 20 mil 'pilas', através de um integrante de partido aliado ao Planalto da ex-guerilheira Dil-má e do ex-"marolhinha".
Volto ao Brasil e constato que nada mudou; tudo como dantes no quartel de Abrantes.
TRISTE E VERGONHOSO PAÍS.

quarta-feira, 11 de setembro de 2013

TRIBUNA BRASIL: O 'GRITO' DOS BRASILEIROS!

O site TRIBUNA BRASIL è o pódio para o grito de dignidade dos brasileiros contra tudo que houver de errado no país. Aberrações, Baboseiras, Corrupções, Desmandos, etc e tal.

UM JUIZ DE MERDA

COMENTA O INDIGNADO:
Tomei a liberdade de copilar do MOMENTOBRASILCOM.BLOGSPOT.COM do amigo Roy Lacerda.



No romance autobiográfico “Código da Vida”, o ex-ministro da Justiça Saulo Ramos conta como ajudou a nomear Celso de Mello para o STF e como rompeu com o ex-pupilo; o ministro havia dado um voto contra José Sarney, que o nomeara, por pressão da Folha de S. Paulo, mas apenas porque a votação já estava decidida em favor do ex-presidente; depois disso, ambos romperam e Saulo disparou: “Você é um juiz de merda.
Responsável pela comparação entre  o PT e duas organizações criminosas que roubam e matam (o Comando Vermelho e o Primeiro Comando da Capital), o ministro Celso de Mello, “decano” do Supremo Tribunal Federal, é saudado há vários anos pelos meios de comunicação como uma espécie de herói por sua defesa constante da liberdade de expressão.
Essa conexão com os meios de comunicação foi apontada em 2007 pelo ex-ministro da Justiça, Saulo Ramos, que foi um dos articuladores de sua ida para o Supremo Tribunal Federal. Naquele ano, Saulo publicou o romance “Código da Vida”, com pitadas autobiográficas, em que falou sobre o ex-pupilo Celso de Mello.
Segundo Saulo, o ministro deu um voto contra José Sarney, que o nomeou, por pressão da Folha da S. Paulo, que questionava sua independência – assim como muitos jornais fazem hoje em relação a Dias Toffoli e Ricardo Lewandowski. E essa revelação teria sido feita pelo próprio Mello a Saulo numa conversa telefônica reproduzida no livro.
Além de confessar a pressão da Folha, Mello teria dito ainda a Saulo que votou contra Sarney apenas porque a votação já estava decidida em favor do ex-presidente, que pôde mudar seu domicílio eleitoral para o Amapá, onde se elegeu senador. Ou seja: se fosse necessário, ele votaria de outra maneira.
A ligação terminou com o rompimento definitivo entre ambos. “Você é um juiz de merda”, disparou Saulo.
Confira trecho do livro:
"…a Suprema Corte estava em meio recesso, e o Ministro Celso de Mello, meu ex-secretário na Consultoria Geral da República, me telefonou:
E continua:
Veio o dia do julgamento do mérito. Sarney ganhou, mas o último a votar foi o Ministro Celso de Mello, que votou pela cassação da candidatura Sarney.
Deus do céu! O que deu no Garoto? Votou contra o Presidente que o nomeara, depois de ter demonstrado grande preocupação ( o assunto do telefonema para o “padrinho” ) com a hipótese de Marco Aurélio de Mello ( primo do Collor ) ser o relator.
Continuando a narrativa:
Apressou-se ele próprio a me telefonar, explicando:
- Doutor Saulo, o senhor deve ter estranhado o meu voto…votei contra para desmentir a Folha de São Paulo ( que na véspera noticiou o voto certo em favor de Sarney )…
O Presidente já estava vitorioso e não precisava mais do meu…Mas fique tranquilo. Se meu voto fosse decisivo, eu teria votado a favor do Presidente…
O Senhor entendeu?
Entendi.
ENTENDI QUE VOCÊ É UM JUIZ DE MERDA!
Bati o telefone e nunca mais falei com ele.
Muitos advogados sabiam que Celso de Mello havia sido meu secretário na Consultoria da República e nomeado Ministro do Supremo por empenho meu. (fls. 169 /176 do livro Código da Vida)".

quarta-feira, 10 de julho de 2013

PARA REFLEXÃO !

COMENTA O INDIGNADO:
E não é que é verdade?

          


            A Venezuela é governada por um morto.
            Cuba, pelo irmão do morto

            A Argentina, pela mulher do morto.
            A Coreia do Norte, pelo filho do morto.
            O Brasil, pela sucessora de um idiota que se finge de morto.
            E o Maranhão pela filha de um filho da puta que não morre...

sexta-feira, 5 de julho de 2013

KKKKKKKKKKKKKKKKK



ELA SÓ É PASTORA EVANGÉLICA,
POR ENQUANTO!...
MAS NADA É IMPOSSIVEL
NESTE PAÍS...



PASTORA SUZANE CRISTINE VON RICHTHOFEN... ISSO NÃO PODE SER VERDADE!!! ACHO QUE OS PRESSÁGIOS DE RUY BARBOSA ESTÃO SE CONFIRMANDO!!! TRISTE REALIDADE !!!


REALIDADE !


: Pastora Suzane Richthofen é nomeada presidente da Comissão de Seguridade Social e Família. Portanto, passou ser funcionária da
Câmara de Deputados com salário pago com os impostos que nós
(babacas) recolhemos a esse governo.
     

Pastora Suzane Richthofen

Nomeada presidente da Comissão de

Seguridade Social e Família


Suzane Richthofenpersonalidade brasileira que adquiriu seu status após decidir assassinar os próprios pais, parece ter dado outro rumo à sua existência. Presa desde 2002 em regime fechado na Penitenciária Santa Maria Eufrásia Pelletier, em Tremembé (SP), Suzane acaba de se tornar pastora evangélica. Além do mais, devido à sua conduta impecável, logrou, junto à Sexta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ), mudar o regime de fechado para semiaberto, quando é possível deixar o presídio durante o dia para trabalhar. 
E, de fato, conseguiu um trabalho junto a outros criminosos que laboram poucas horas por dia. Devido à intercessão do Deputado Marco Feliciano, Suzane foi compulsoriamente filiada ao PSC (Partido Social Cristão) e, de quebra, foi nomeada para a presidência da CSSF (Comissão de Seguridade Social e Família), mais uma entre as controversas Comissões Permanentes da Câmara dos Deputad os.

Obs. Tire suas duvidas clicando onde esta escrito na cor roxa.

Ora, mas também ela só matou o pai e a mãe, que mal há nisso???

                                                     
                                                      

quarta-feira, 3 de julho de 2013

RESGATANDOA HISTORIA

1985 -
O PT É CONTRA A ELEIÇÃO DE TANCREDO NEVES E EXPULSA OS
DEPUTADOS QUE VOTARAM NELE.
1988 -
O PT VOTA CONTRA A NOVA CONSTITUIÇÃO QUE MUDOU O RUMO DO BRASIL.
1989 -
O PT DEFENDE O NÃO PAGAMENTO DA DÍVIDA BRASILEIRA, O QUE
TRANSFORMARIA O BRASIL NUM CALOTEIRO MUNDIAL.
1993 -
PRESIDENTE ITAMAR FRANCO CONVOCA TODOS OS PARTIDOS PARA UM
GOVERNO DE COALIZÃO PELO BEM DO PAÍS. O PT FOI CONTRA E NÃO
PARTICIPOU.
1994 -
O PT VOTA CONTRA O PLANO REAL E DIZ QUE A MEDIDA É ELEITOREIRA.
1996 -
O PT VOTA CONTRA A REELEIÇÃO. HOJE DEFENDE.
1998 -
O PT VOTA CONTRA A PRIVATIZAÇÃO DA TELEFONIA, MEDIDA QUE HOJE
NOS PERMITE TER ACESSO A INTERNET E MAIS DE 150 MILHÕES DE LINHAS
TELEFÔNICAS.
1999 -
O PT VOTA CONTRA A ADOÇÃO DO CÂMBIO FLUTUANTE.
1999 -
O PT VOTA CONTRA A ADOÇÃO DAS METAS DE INFLAÇÃO.
2000 -
O PT LUTA FEROZMENTE CONTRA A CRIAÇÃO DA LEI DA
RESPONSABILIDADE FISCAL, QUE OBRIGA OS GOVERNANTES A GASTAREM APENAS O
QUE ARRECADAREM, OU SEJA, O ÓBVIO QUE NÃO ERA FEITO NO BRASIL.
POR QUE SERÁ?
2001 -
O PT VOTA CONTRA A CRIAÇÃO DOS PROGRAMAS SOCIAIS NO GOVERNO
FERNANDO HENRIQUE CARDOSO:
BOLSA ESCOLA, VALE ALIMENTAÇÃO, VALE GÁS,
PETI E OUTRAS BOLSAS SÃO CLASSIFICADAS COMO ESMOLAS ELEITOREIRAS E
INSUFICIENTES.
QUASE TODA ESTRUTURA SÓCIO-ECONÔMICA DO BRASIL FOI CONSTRUÍDA NO
PERÍODO LISTADO ACIMA.
O PT FOI CONTRA TUDO E CONTRA TODOS.
HOJE ROUBAM TODOS OS AVANÇOS QUE OS OUTROS PARTIDOS PROMOVERAM E POSAM
COMO OS ÚNICOS CONSTRUTORES DE UM PAÍS DEMOCRÁTICO.
JÁ QUE O PT FOI CONTRA TUDO E CONTRA TODOS DESDE A SUA FUNDAÇÃO, FICA
UMA PERGUNTA PARA QUE OS LEITORES RESPONDAM:
EM 10 ANOS DE GOVERNO, QUAIS AS REFORMAS QUE O PT PROMOVEU NO BRASIL
PARA MUDAR O QUE OS SEUS ANTECESSORES DEIXARAM?
Lembre-se sempre:
"Embora ninguém possa voltar atrás e fazer um novo começo, qualquer
um pode começar agora e fazer               um novo fim".

sexta-feira, 21 de junho de 2013

PEÇA PRA CAGÁ E SAIA!






COMENTA O INDIGNADO:
A avalanche de protestos populares no Brasil, é fruto das merdas cometidas pelo "Marolinha", pelos compromissos de campanha da ex-guerrilheira não cumpridos, pelos PACs que não foram cumpridos e os dois que nunca saíram do papel, pelo resultado das investigações da construtora Delta e do Cachoeira, pelos condenados do mensalão ainda fora das cadeias, pela corrupção total, geral e irrestrita, pelo rio de dinheiro gasto nos estádios (cerca de 30%), pois, o governo federal privatizou em 70% dos custos (onde está esta grana?), pelo descaso do Estado brasileiro nas três esferas, pela falta de segurança ,transportes, educação, empregos, saneamento básico e pela falta de qualidade de vida da população e que é obrigação dos governos.
Sem essa, senhor Renan "Pau de galhinheiro" Calheiros, de declarar que está à favor das manifestações, você que é sinônimo de corrupção, um pulha em todos os sentidos e  nenhuma moral tem para falar em apoio à população, PEÇA PRA CAGÁ e SAIA; renuncie juntamente com o presidente da Câmara Federal & Cia.
Sra DIL-MÁ, se demorar mais para atender as reivindicações do povo, será a única responsável se O GIGANTE BRASIL FICAR FORA DE CONTROLE. Lembre-se que: Os militares estão poraqui com o teu tratamento as Forças Armadas, principalmente com o aumento(pífio) e escalonado em quatro em 4 anos. Se os tanques forem às ruas, não será para defendê-la. Portanto...... CUIDADO!

quinta-feira, 16 de maio de 2013

SAFADEZA PREMIADA








COMENTA O INDIGNADO:

O que a ex-guerrilheira DIL-MÁ fez foi uma reedição do'mensalão'. Classifico como safadeza premiada a liberação de um bi de reais para ter tuas MPs aprovadas. As negociatas da privatização dos portos não foi levada a sério pelos congressistas e o tempo passou. Foi vergonhosamente votada ás pressas (como se diz na gíria: nas coxas) e hoje o Senado deve repetir o vexame. As maracutaias realizadas nos porões do palacio desta vez não funcionaram. O país clama por educação, segurança, moradia, saneamento básico, transportes, empregos dentre outras cositas e a senhora faz de conta que está tudo bem? Tenha respeito pela nação que preside e tambem abra os cofres do Estado para gastar não 01 bilhão, mas vários bilhões do nosso dinheiro para resolver os tópicos citados acima. Venha para a cadeia de radio e tv (que tanto gosta, para anunciar o supérfluo do teu (DES)governo) e afirme que agora vai administrar honestamente o país, resolvendo todo o clamor popular.

sexta-feira, 3 de maio de 2013

TENTATIVA DE GOLPE








COMENTA O INDIGNADO:

A situação política do Brasil está grave, diante da iminência de ruptura do estado de direito, perpetrado pelos petistas, inconformados pela condenação do "subchefe da quadrilha" José Dirceu (o chefe é o Lula).

A manifestação do PT em São Paulo, contra a condenação dos seus membros em razão do julgamento do mensalão, é perfeitamente admissível numa democracia.

Todavia, as manifestações dos "porta-vozes", Tóffoli e Lewandovsky, pedindo a "transformação" da pena de prisão em multa, é um ESCÁRNIO, INADMISSÍVEL DE SER PROPOSTA POR UM JUIZ, AINDA MAIS SE ELE FAZ PARTE DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL.

Como estou dirigindo este e-mail para diversos amigos, a grande maioria com formação diversa da área jurídica, peço licença para um pequeno esclarecimento, do porque do perigo das manifestações dessas duas figuras nefastas que, infelizmente, teem assento no Supremo.

No Direito penal, o princípio da legalidade se desdobra em outros dois: princípio da anterioridade da lei penal e princípio da reserva legal.

Por anterioridade da lei penal, entende-se que não se pode impor uma pena a um fato praticado antes da edição desta lei, exceto se for em benefício do réu.

Já a reserva legal, estabelece não existir delito fora da definição da norma escrita O princípio nullum crimen, nulla poena sine lege é cláusula pétrea da Constituição.

Como nós sabemos, o Código Penal é TÍPICO.

Na aplicação da Lei Penal, o Juiz não pode se valer, por exemplo, da ANALOGIA.

Os elementos constitutivos de um crime devem ser preenchidos na sua TOTALIDADE.

Portanto, o Juiz deve se ater ao que está escrito na Lei Penal.

Assim, o que pode gerar tais manifestações?

É simples: incentivado por esses dois IMBECIS, a bancada dos Petralhas pode apresentar projeto de Lei, por exemplo, mudando a penalidade dos crimes de corrupção ativa e passiva (crimes contra a Administração Pública) de prisão para pena de multa.

O que acontecerá, se for feita esta alteração nas penas?

Dentro dos princípios Constitucionais e do Código Penal, a LEI POSTERIOR NÃO SE APLICA AOS CASOS JULGADOS ANTERIORMENTE, SENÃO EM BENEFÍCIO DOS RÉUS.

Por exemplo: uma pessoa é condenada a um ano de prisão por furtar uma bicicleta.

Lei posterior, revoga essa penalidade, dizendo não ser crime o furto de bicicleta.

O Réu, INSTANTANEAMENTE, terá de ser posto em liberdade.

Voltando ao mensalão, caso mude a penalidade de prisão para multa nos crimes praticados pelo Zé Dirceu, ele, simplesmente, com os milhões amealhados pela quadrilha, sairá da prisão, caso seja preso, RINDO DE TODO O POVO BRASILEIRO, EXCETO OS SEUS COMPARSAS.

Portanto, a gravidade do assunto é visível: será a desmoralização do Supremo, não de seus membros, e sim da instituição, que representa um dos PODERES DA REPÚBLICA, talvez o mais importante.

segunda-feira, 29 de abril de 2013

UMA FÁBULA(?) ALCOÓLICA.









COMENTA O INDIGNADO:

KKKKKKKKKKKKKKKKKKK




Era uma vez, um país que disse ter conquistado a independência energética com o uso do álcool feito a partir da cana de açúcar.

Seu presidente falou ao mundo todo sobre a sua conquista e foi muito aplaudido por todos. Na época, este país lendário começou a exportar álcool até para outros países mais desenvolvidos.

Alguns anos se passaram e este mesmo país assombrou novamente o  mundo quando anunciou que tinha tanto petróleo que seria um dos maiores produtores do mundo e seu futuro como exportador estava garantido.

A cada discurso de seu presidente, os aplausos eram tantos que confundiram a capacidade de pensar de seu povo. O tempo foi passando e o mundo colocou algumas barreiras para evitar que o grande produtor invadisse seu mercado. Ao mesmo tempo adotaram uma política de  comprar as usinas do lendário país, para serem os donos do negócio.

Em 2011, o fabuloso país grande produtor de combustíveis, apesar dos alardes publicitários e dos discursos inflamados de seus governantes, começou a importar álcool e gasolina.

Primeiro começou com o álcool, e já importou mais de 400 milhões de litros e deve trazer de fora neste ano um recorde de 1,5 bilhão de litros, segundo o presidente de sua maior empresa do setor, chamada Petrobras Biocombustíveis.


Como o álcool do exterior é inferior, um órgão chamado ANP (Agência Nacional do Petróleo) mudou a especificação do álcool, aumentando de 0,4% para 1,0% a quantidade da água, para permitir a importação. Ao mesmo tempo, este país exporta o álcool de boa qualidade a um preço mais baixo, para honrar contratos firmados.

Como o álcool começou a ser matéria rara, foi mudada a quantidade de álcool adicionada à gasolina, de 25% para 20%, o que fez com que a grande empresa produtora de gasolina deste país precisasse importar gasolina, para não faltar no mercado interno. Da mesma forma, ela exporta gasolina mais barata e compra mais cara, por força de contratos.

A fábula conta ainda que grandes empresas estrangeiras, como a BP (British Petroleum), compraram no último ano várias grandes usinas produtoras de álcool neste país imaginário, como a Companhia Nacional de Álcool e Açúcar, e já são donas de 25% do setor.

A verdade é que hoje este país exótico exporta o álcool e a gasolina a preços baixos, importa a preços altos um produto inferior, e seu povo paga por estes produtos um dos mais altos preços do mundo.

Infelizmente esta fábula é real e o país onde estas coisas irreais acontecem chama-se Brasil.

(CÉLIO PEZZA é escritor).


quinta-feira, 11 de abril de 2013

UM GOVERNO OMISSO


Verdadeiro descaso é a ação da Presidanta quanto as priões dos 12 brasileiros mantidos em cárcere na Bolivia. a delegação de políticos que lá compareceu, só fez turismo. Nada resolveu. Senhora Dilmá já que faz viagens ao exterior, porque não tirar o bumbum da cadeira presidencial e ir resolver definitivamente o problema dos teus eleitores?  Sabe muito bem que a manutenção dos mesmos em regime fechado é ilegal. Porque não usa da tua costumeira e conhecida arrogancia, prepotencia etc e tal com o teu colega presidente? Porque tanta omissão? Afinal, és a funcionária pública numero 1 do Brasil. Portanto, tem a obrigação de defender aqueles que pagam o teu altíssimo salario e demais mordomias. Onde está a tua força de vontade, moral, respeito e coisa que o valha no exterior? Por onde anda o tom autoritário que trata a todos nos corredores do planalto? Se não tem compentencia ( e acredito que não a tenha), vide o exemplo dos fracassos em tudo que comandou no Rio Grande do Sul, tenha pelo menos a dignidade de pedir demissão. O Brasil já não aguenta mais tanta babozeira no comando da nação.

By; O INDIGNADO.

quarta-feira, 10 de abril de 2013

PELAGADA DE TOGA










COMENTA O INDIGNADO:

Desde que o julgamento do mensalão, o atual presidente do STF mostrou a que veio. Alem da personalidade forte e sabendo onde tem o nariz, ganha a cada dia mais respeito dos brasileiros. Mostra-se verdadeiro defensor da justiça e da respeitabilidade. Deu verdadeiro 'chega-pra-lá' nos colegas magitrados que estiveram em seu gabinete. Uma voz que inicialmente 'seria' solitária, ganha adesões de muitos colegas. a PELEGADA DE TOGA, sabe agora que o 'buraco' é bem mais embaixo. As maracutais corriqueiras do Congresso começam a 'olhar' com outros olhos as ações e possiveis aprovações de tudo que irão efetuar doravante. O despudorado presidente Calheiros, sofrerá nos proximos dias uma manifestação pedindo tua saída da cadeira, constando de cerca de 10 milhões de assinaturas,número que segundo lei existente, obrigará o Congresso Nacional tomar a providencia de afastá-lo. Quero ver agora, se o Renan irá se pronunciar ironizando o documento das assinaturas anterior.

terça-feira, 2 de abril de 2013










O INDIGNADO:

A situação política do Brasil está grave, diante da iminênciade ruptura do estado de direito, perpetrado pelos petistas, inconformados pela condenação do "subchefe da quadrilha" José Dirceu (o chefe é o Lula).
A manifestação do PT em São Paulo, contra a condenação dos seus membros em razão do julgamento do mensalão, é perfeitamente admissível numa democracia.
Todavia, as manifestações dos "porta-vozes", Tóffoli e Lewandovsky, pedindo a "transformação" da pena de prisão em multa, é um ESCÁRNIO, INADMISSÍVEL DE SER PROPOSTA POR UM JUIZ, AINDA MAIS SE ELE FAZ PARTE DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL.

No Direito penal, o princípio da legalidade se desdobra em outros dois: princípio da anterioridade da lei penal e princípio da reserva legal.
Por anterioridade da lei penal, entende-se que não se pode impor uma pena a um fato praticado antes da edição desta lei, exceto se for em benefício do réu.
Já a reserva legal, estabelece não existir delito fora da definição da norma escrita O princípio nullum crimen, nulla poena sine lege é cláusula pétrea da Constituição.
Como nós sabemos, o Código Penal é TÍPICO.
Na aplicação da Lei Penal, o Juiz não pode se valer, por exemplo, da ANALOGIA.
Os elementos constitutivos de um crime devem ser preenchidos na sua TOTALIDADE.
Portanto, o Juiz deve se ater ao que está escrito na Lei Penal.
Assim, o que pode gerar tais manifestações?
É simples: incentivado por esses dois IMBECIS, a bancada dos Petralhas pode apresentar projeto de Lei, por exemplo, mudando a penalidade dos crimes de corrupção ativa e passiva (crimes contra a Administração Pública) de prisão para pena de multa.
O que acontecerá, se for feita esta alteração nas penas?
Dentro dos princípios Constitucionais e do Código Penal, a LEI POSTERIOR NÃO SE APLICA AOS CASOS JULGADOS ANTERIORMENTE, SENÃO EM BENEFÍCIO DOS RÉUS.
Por exemplo: uma pessoa é condenada a um ano de prisão por furtar uma bicicleta.
Lei posterior, revoga essa penalidade, dizendo não ser crime o furto de bicicleta.
O Réu, INSTANTANEAMENTE, terá de ser posto em liberdade.
Voltando ao mensalão, caso mude a penalidade de prisão para multa nos crimes praticados pelo Zé Dirceu, ele, simplesmente, com os milhões amealhados pela quadrilha, sairá da prisão, caso seja preso, RINDO DE TODO O POVO BRASILEIRO, EXCETO OS SEUS COMPARSAS.
Portanto, a gravidade do assunto é visível: será a desmoralização do Supremo, não de seus membros, e sim da instituição, que representa um dos PODERES DA REPÚBLICA, talvez o mais importante.

domingo, 17 de março de 2013

SERÁ QUE O MAR VAI PEGAR FOGO?






COMENTA : O INDIGNADO:
E AGORA PRESIDANTA?

"RESPOSTA DE UM MINEIRO AO PEDIDO DE CARIOCAS NO "VETA, DILMA", SOBRE OS ROYALTIES DO PETRÓLEO.”

Minas Gerais carregou o Brasil e a Europa nas costas durante 150 anos, nos ciclos do ouro e diamante!Ficaram para os mineiros os buracos e a degradação ambiental! Depois veio o ciclo do minério de ferro, até hoje principal item da pauta de exportações brasileiras, que rendeu ao Rio de Janeiro uma das maiores indústrias siderúrgicas do Brasil, a CSN, e a sede da VALE. Curioso é que o Rio de Janeiro não produz um único grama de minério de ferro, mas recebeu a siderúrgica rendendo impostos e gerando empregos e a sede da mineradora recebendo royalties de exploração de minério. Mais uma vez Minas Gerais carregando o Brasil nas costas e, de vinte anos para cá, ajudada pelo Pará em razão das reservas de minério de ferro descobertas nesse Estado. Outra vez ficam para os mineiros e paraenses os buracos e a devastação ambiental. Isso sem falar da água; quem estudou geografia sabe que Minas Gerais é a "caixa d'água do Brasil", aqui nascem praticamente todos os rios responsáveis pela geração de energia hidráulica e, embora a usina de FURNAS seja em MG, a sede é no Rio. Me causa estranheza essa posição de alguns cariocas/fluminenses, pois toda riqueza do subsolo, inclusive marítimo, pertence à UNIÃO. Ao contrário do ouro, do diamante e do minério de ferro que estão sob o território mineiro, as jazidas do pré-sal estão a 400 quilometros do litoral do Rio do Janeiro e nenhum Estado Brasileiro, inclusive o RJ, tem recursos aplicados na pesquisa, exploração e refino de petróleo, pois todo dinheiro é da UNIÃO que é a principal acionista da PETROBRAS. Acho piada de mau gosto quando esses políticos fluminenses falam em "Estados produtores de petróleo" sabendo dessas características da exploração do petróleo e dos eternos benefícios que o RJ recebe, tais como jogos panamericanos, olimpíadas etc. Acho um absurdo ver crianças de outras regiões mais pobres do Brasil estudando em salas de aula sem luz, sentadas duas ou três numa mesma cadeira, quando há cadeira, enquanto que a prefeitura de Macaé/RJ gasta, torra, esbanja, joga fora dinheiro pintando de cores berrantes passeios públicos! Proponho que todos brasileiros dos outros Estados façam o protesto SANCIONA, DILMA e mandem e-mails para seus deputados e senadores para acompanhar de perto essa questão do pré-sal.É como disse certa vez um compositor, cujo nome me esqueci, "o Rio de Janeiro é um Estado de frente para o mar e de costas para o Brasil". Sérgio Cabral, vá te catar! SANCIONA, DILMA.
“Se vc concordou, espalhe essa mensagem!”
 Ass. "O Mineiro Indignado"


quarta-feira, 6 de março de 2013

ENGOLINDO A LÍNGUA



COMENTA O INDIGNADO:

CHORA LÁGRIMAS DE CROCODILLA, PRESIDANTA.


ale a pena usar uma "nêsga" de seu tempo para ler esta carta de uma CIDADÃ BRASILEIRA!

Carta de Marcella Martins, Santa Maria - RS, à Presidente Dilma

Engula... o choro, presidente. Engula o choro ao falar da tragédia de Santa Maria. Engula o choro e todos os problemas desse país que nele estão escancarados. Engula que o medo do segurança de ser demitido neste país é maior do que sua consciência de deixar as pessoas saírem sem pagarem suas contas para não morrerem. Engula a soberba dos donos de empresa desta nação que não estão nada preocupados com pessoas como eu e até mesmo como a senhora porque estão focados demais em lucrar, e preferem fechar as portas como numa câmara de gás a ter prejuízos. Engula a pressão que todos os seus funcionários sentem todos os dias. Engula que para arcar com seus altíssimos impostos, todos eles dão um jeitinho bem brasileiro de se desviar dos regulamentos e leis. Engula qu e os órgãos responsáveis por evitar que isso aconteça não funcionam. Engula que eles deixaram essa, entre tantas e tantas casas mais, funcionar sem licença. Engula que provavelmente alguém que também ganha pouquíssimo aceitou um suborno para que isso acontecesse. Engula que a senhora deu "é" sorte por ser apenas essa casa entre todos os tantos lugares que deveriam estar fechados, que caiu na boca da mídia. Engula a mídia que vai atacar com todo o sensacionalismo possível em cima das famílias que estão procurando celulares em cima de corpos para reconhecer seus filhos. Engula as operadoras que não funcionam e que provavelmente impediram uma série de vítimas a pedirem socorro. Engula que o socorro que chega para se enfiar em lugares como este, pegando fogo, cheio de corpos de jovens para serem resgatados, recebe um salário vergonhoso, com descontos ainda mais vergonhosos, e ainda assim executam um trabalho triste e digno antes de voltarem para a casa e agrad ecerem por seus próprios estarem dormindo.

Não, presidente. Não chore ao falar da tragédia. Faça! Faça alguma coisa. E pare de nos dar como exemplos uma série de catástrofes para tomar medidas idiotas que não valerão de nada alguns meses depois. Não se emocione. Acione! Acione a todos os órgãos públicos, faça uma limpa em sua maldita corrupção e devolva à segurança pública, às instituições sérias, aos professores, aos bombeiros, aos enfermeiros, aos seguranças, aos jovens, o mínimo de dignidade. Não faça um discurso. Mude o percurso. Mude tudo porque estamos cansados de ver nossos iguais pegando fogo, morrendo afogados, morrendo nas filas, morrendo no crack, morrendo, morrendo, morrendo, e tendo como última imagem aquela tv aos fundos anunciando o fim de mais uma bilionária obra de estádio de futebol.

Não, presidente. Desculpe, mas na minha frente, a senhora não pode chorar. Não pode chorar sua culpa. Não pode chorar s ua inércia. Não pode chorar no Chile mas também não pode chorar em Santa Maria. Porque isso é muito maior do que só um acidente. Isso é muito maior do que só sua comoção. Engula o seu choro, presidente. O seu, o dos jovens que perceberam que não teriam mais o que fazer que não morrer, e em especial, o de seus amigos e familiares, que em um país como esse, não têm outra opção que não chorar. Engula o choro, presidente."

MARCELLA MARTINS.


 

domingo, 17 de fevereiro de 2013


Comenta o indignado:
  Vocês já observaram como nossa vida piorou sensivelmente, nos últimos tempos ?
 Esse é o preço da "liberdade" e da "democracia" ? ? ?




NÃO TENHO ACANHAMENTO DE DIZER QUE,  PARA MIM, NÃO FOI UM MAU TEMPO, AQUELE EM QUE PERDUROU A "CHAMADA" DITADURA, QUE EU PREFIRO DIZER: RE-EXE(SS)ÇÃO. HAJA VISTA QUE, DO PONTO DE VISTA ECONÔMICO, FIZ TUDO QUE NÃO POSSO FAZER AGORA; NUNCA PRECISEI UTILIZAR MEUS CHEQUES ESPECIAIS (HOJE, UM SÓ, E ETERNAMENTE VERMELHO!); NUNCA FUI INCOMODADO PELAS FORÇAS ARMADAS, APESAR DE TRABALHAR NUM LOCAL (RLAM), DE ONDE O EXÉRCITO TIROU MUITA GENTE. . .  POR VIA DE CONSEQÜÊNCIA, NÃO TINHA NECESSIDADE DE FALAR DO PRESIDENTE. 
 
ENTÃO, HOJE, VIVENDO A "CHAMADA" DEMOCRACIA, PODENDO FALAR DO PRESIDENTE (COMO O FAÇO, TODOS OS DIAS), TENHO QUE ENCARAR O MEU PAÍS ATOLADO NA LAMA DA CORRUPÇÃO E SOFRENDO AS CONSEQÜÊNCIAS DESSE DESCALABRO.
 
DÁ PRÁ PENSAR DIFERENTE?
Márcio Dayrell Batitucci
 Os tempos de Geisel... 
Na época da “chamada” ditadura...Podíamos namorar dentro do carro até a meia-noite, sem perigo de sermos assaltados ou mortos porbandidos e traficantes. Mas, não podíamos falar mal do presidente. Podíamos ter o INPS como único plano de saúde, sem morrer a míngua nos corredores dos hospitais. Mas não podíamos falar mal do Presidente. Podíamos comprar armas e munições à vontade, pois o governo sabia quem era cidadão de bem, quem era bandido e quem era terrorista. Mas, não podíamos falar mal do Presidente. Podíamos paquerar e fazert galanteios à funcionária, à menina das contas a pagar ou à recepcionista,sem correr o risco de sermos processados por "assédio moral". Mas, não podíamos falar mal do Presidente. Não usávamos eufemismos hipócritas para fazer referências a raças (ei! negão!), credos (esse crente aí!) ou preferências sexuais (fala! sua bicha!) e não éramos processados por "discriminação". Mas, não podíamos falar mal do presidente. Podíamos tomar nossa redentora cerveja no fim do expediente do trabalho, para relaxar e dirigir o carro para casa, sem o risco de sermos jogados à vala da delinquência, sendo preso por estar "alcoolizado". Mas, não podíamos falar mal do Presidente. Podíamos cortar a goiabeira do quintal, empesteada de taturanas, sem que isso constituísse crime ambiental. Mas, não podíamos falar mal do presidente. Podíamos ir a qualquer bar ou boate, em qualquer bairro da cidade, de carro, de ônibus, de bicicleta ou a pé, sem nenhum medo de sermos assaltados, sequestrados ou assassinados. Mas, não podíamos falar mal do presidente. Hoje a única coisa que podemos fazer:
“é falar mal do presidente!”
Quando você perceber que, para produzir, precisa obter a autorização de quem não produz nada; Quando comprovar que o dinheiro flui para quem negocia não com bens, mas com favores; Quando perceber que muitos ficam ricos pelo suborno e por influência, mais que pelo trabalho; Que as leis não nos protegem deles mas, pelo contrário, são eles que estão protegidos de você; Quando perceber que a corrupção é recompensada e a honestidade se converte em auto-sacrifício, ...Então poderá  afirmar, sem temor de errar, que sua sociedade está condenada...
                      (Ayn Rand) - Dom  Machadito )
 


 

domingo, 3 de fevereiro de 2013












COMENTA O INDIGNADO:
VOCÊ ACREDITA NO SUPREMO TRIBUNAL?


Dados Nome: José Antonio Dias Toffoli  Profissão (atual): Ministro do Supremo Tribunal Federal /STF- Suprema Corte.  Idade: 41 anos  Um breve histórico, para entender a "coisa"  Currículo: "um passado não muito distante"  - Formado pela USP  - Pos Graduação: nunca fez  - Mestrado: nunca fez  - Doutorado: também não fez  - Concursos: 1994 e 1995   foi reprovadoem concursos para juiz estadual em São Paulo  (é estadual e não Federal, não vá se confundir).  - Depois disso, abriu um escritório e começou a atuar em movimentos populares.   Nessa militância, aproximou-se do deputado federal Arlindo Chinaglia e deu o grande salto na carreira ao unir-se ao PT.  Em Brasília: - Aproximou-se de Lula e José Dirceu,   que o escolheram para ser o advogado das campanhas 1998, 2002 e 2006;- Com a vitória de Lula foi nomeado Subchefe de Assuntos Jurídicos da Casa Civil, então comandada por José Dirceu;- Com a queda do chefe, pediu demissão e voltou à banca privada;- Longe do governo, trabalhou na campanha para a reeleição de Lula,  serviço que lhe rendeu 1 milhão de reais em honorários.- No segundo mandato, voltou ao governo como chefe da Advocacia-Geral da União;- Toffoli é duas vezes réu. Ele foi condenado pela Justiça em dois processos que correm em primeira instância no estado do Amapá.  Em termos solenemente pesados, a sentença mais recente manda Toffoli devolver aos cofres públicos a quantia de 700.000,00 (setecentos mil reais) dinheiro recebido "indevidamente e imoralmente" por contratos "absolutamente ilegais", celebrados entre seu escritório e o governo do Amapá.- Um dos empecilhos mais incontornáveis para ele é sua visceral ligação com o PT,especialmente com o ex-ministro José Dirceu, o chefe da quadrilha do mensalão. De todos os ministros indicados por Lula para o Supremo, Toffoli é o que tem mais proximidade política e ideológica com o presidente e o partido. Sua carreira confunde-se com a trajetória de militante petista – essa simbiose é, ao fundo e ao cabo, a única justificativa para encaminhá-lo ao Supremo.    POSSE: Cadeira dos sonhosNo dia 23/10/2009 ocorreu a posse de Dias Toffoli  como ministro do STF ( indicado pelo Presidente Lula)   Algumas atividades como Ministro do STF.Ao longo de oito meses no STF ele participou de julgamentos polêmicos e adotou posturas isoladas.  -Em março foi o único entre dez ministros que votou favoravelmente ao pedido de habeas corpus para libertar José Roberto Arruda, ex-governador do Distrito Federal.- Em maio, votou pela absolvição do deputado federal Zé Gerardo (PMDB-CE), primeiro parlamentar condenado pelo Supremo desde a Constituição de 1988 (o julgamento acabou em 7 a 3). - Duas semanas depois, indeferiu um pedido de liminar em habeas corpus em favor do jornalista Diogo Mainardi, em processo no qual foi condenado por calúnia e difamação.  Mainardi é crítico da gestão petista e de Lula. Toffoli, que também é ministro-substituto do Tribunal Superior - Eleitoral, pediu vista de um dos processos por propaganda eleitoral antecipada contra Lula e  a presidente pelo PT, Dilma Rousseff.  O julgamento avaliava um recurso contra uma decisão que multou os dois, nos valores de R$ 10 mil e R$ 5 mil, respectivamente, e que foi determinada pelo ministro Henrique Neves no dia 21 de maio. 
-
 

segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

ETA FERRO!!!!!!!!


COMENTA O INDIGNADO:

Matéria sensacional.


Tribuna da Imprensa

informação e opinião

Lula ganha o Troféu Algemas de Ouro, como o mais corrupto do ano

Renato Onofre (O Globo Online)
O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) começou 2013 vencendo mais uma eleição. Entre as personalidades mais corruptas de 2012, Lula ganhou com 65,69% dos 14.547 votos válidos o Troféu Algemas de Ouro. Em segundo lugar, com 21,82%, ficou o ex-senador Demóstenes Torres (sem partido) seguido pelo governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral (PMDB), com 4,55%.
 Lula ganhou disparado…
Ironicamente, a segunda edição da premiação organizada pelo Movimento 31 de Julho foi marcada pela fraude. Os organizadores detectaram a utilização de um programa de votação automática que criou perfis falsos no Facebook, que direcionou 38% do total de votos (23.557) para candidatos ligados ao PSDB e ao DEM.
A premiação, que aconteceu na tarde deste domingo no Leblon, Zona Sul do Rio, foi marcada pela descontração. Em clima de carnaval, com máscaras representando os candidatos que disputaram o Algemas de Ouro 2012, os manifestantes elogiaram a atuação do Supremo Tribunal Federal (STF) na condução do julgamento do mensalão e lembraram os feitos “históricos” de cada concorrente.
ELEIÇÕES LIMPAS
Além de Lula, Demóstenes e Cabral, estavam no pleito o senador Jader Barbalho (PMDB-PA); os deputados federais Eduardo Azeredo (PSDB-MG) e Paulo Maluf (PP-SP); o ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Fernando Pimentel, e sua ex-companheira de Esplanada, Erenice Guerra; o ex-governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda (sem partido); e o empresário Fernando Cavendish.
— Depois de eleger poste, o ex-presidente Lula mostra que ainda tem fôlego para ganhar mais eleições daqui para frente. Foram três candidatos que fizeram jus à premiação. Todos eles se destacaram nas páginas do jornal, mas o ex-presidente se sobressaiu. No ano passado, ele foi responsável por um dos momentos mais lamentáveis da história brasileira ao tentar chantagear um ministro do Supremo. Acho que por sua atuação em 2012, e nem quero lembrar de Valérios e Rosemarys, ele mereceu esse troféu e o cheque simbólico de R$ 153 milhões — afirmou Marcelo Medeiros, coordenador do Movimento 31 de Julho.
No último dia 9, os organizadores comunicaram à imprensa e à rede social Facebook — plataforma utilizada para computar os votos — a tentativa de fraude. A denúncia partiu dos próprios eleitores da enquete que perceberam que parte das escolhas foram feitas por perfis falsos, recém-criados no ambiente virtual.
— Não é militância. Se fossem militantes, era válido. O que detectamos foi uma organização criada para fraudar a disputa. Coincidentemente, os votos sempre eram para candidatos da oposição do governo petista e Cabral — explicou Medeiros, que prometeu mudanças na plataforma de computação dos votos na próxima eleição.

A corrupção solidária e sem memória, que não torna ninguém inelegível.

Helio Fernandes
Não adiantam as denúncias, as acusações das ex-mulheres revoltadas e cheias de provas, os milhões arrecadados sempre em cargos públicos, a exibição sem constrangimento do enriquecimento ilícito, o acúmulo de bens, sem jamais terem trabalhado. (Lógico, função pública ou política não é “trabalho”, na definição própria da palavra e da remuneração).
Podem dizer que isso acontece no mundo inteiro, e é verdade, mas não existe impunidade tão grande quanto no Brasil, excetuado o julgamento do mensalão. O cidadão-contribuinte-eleitor, qualquer que seja o seu idioma ou o seu país, contribui para que esses corruptos se eternizem no Poder, eleitos e reeleitos.
Dona Kirchner, sem liderança, carisma ou credenciais, ganhou o Poder por causa do marido. Morto ele, se reelegeu sozinha. Continua insignificante, com um inacreditável enriquecimento ilícito e astronômico. Agora denunciado por cidadãos da outrora orgulhosa Argentina.
E já falam que tentará o terceiro mandato. Não pode, o também corrupto Menem (lá mesmo) tentou e não conseguiu. Mas exibe a fortuna embriagadora e consagradora. Dona Kirchner tentará e conseguirá, quem irá impedi-la? A Constituição?
Berlusconi, o maior corrupto do mundo (título que conquistou e merece) está tentando voltar a ser primeiro-ministro da Itália. Se não ganhar, terá votos suficientes para ser Ministro da Fazenda. Responde a 10 processos há anos e anos, continua livre e elegível.
ALGUNS CORRUPTOS DO BRASIL E
A SOLIDARIEDADE QUE NÃO FALTA
No momento não podemos esquecer Renan Calheiros, Henrique Eduardo Alves e Eduardo Cunha, pelo passado e o fato de disputarem os cargos mais importantes do Congresso.
Henrique Eduardo Alves, assustado com a montanha de denúncias e sentindo que não enganava ninguém, mudou de tática. Veio a público, confessou uma parte da falta de ética: “Sou um cidadão normal, cometo erros”. Entre esses “erros”, a evasão de dinheiro, o depósito de 15 milhões em paraísos fiscais, tudo documentado pela ex-mulher, que com a denúncia garantiu o futuro, não dele mas dela.
Em campanha, foi recebido pelos governadores Alckmin, Anastasia, Cabral. De São Paulo, Minas e Estado do Rio. Tirando Cabral, os outros não sofrem acusações aviltantes nem são ligados a Cavendish. Mas como “Henriquinho” é apoiado por Dona Dilma, pensam (?) coletivamente: “Ele vai se eleger mesmo, podemos precisar de um intermediário para o Planalto”.
Mostrei aqui, sem receio de desmentido: Eduardo Alves foi candidato derrotado duas vezes para prefeito de Natal. Não se candidatou a governador por não ter voto. Aqui mesmo estranharam: “Como não tem voto, se é deputado há mais de 40 anos?”. O descaminho de votos para deputado é mais fácil, o eleitor não liga. Luftalla Maluf, que veio a público “defender Henriquinho”, tem quantas dezenas de mandatos de deputado?
RENAN E EDUARDO CUNHA
TÊM OUTRAS ESTRATÉGIAS
Mais esperto e cauteloso, o ex-presidente do Senado, que renunciou para não ser cassado, quer evitar a cassação antecipada, isto é, não ser eleito. Sabe que, se exibir muito poder, desperta inveja e ciúme, trabalha em silêncio. Basta o apoio de Dona Dilma e do vice Michel Temer, o resto consegue no aconchego (que palavra) do Senado.
Eduardo Cunha, líder dos lobistas, se garante com eles, tem muito a oferecer, eles a receberem. E confiam uns nos outros. Dos três, ninguém corre perigo. Mas o mais garantido é o próprio Cunha, protegido e favorecido pelo grupo do “fuzil”, não o que atira, mas o que tira.
DE PASSAGEM, NEWTON CARDOSO,
O MAIS ENRIQUECIDO EM CARGOS
Foi prefeito da importante cidade de Contagem, na chamada “Grande BH”. Eleito, reeleito, voltou, saiu para ser governador. A mesma coisa que eu disse de Dona Kirchner, é vulgar, deselegante, analfabeto, péssimo de ética e de estética. Mas engana a todos, até mesmo a Receita Federal. Suas declarações ficam sempre abaixo do que apregoa e exibe.
Logo depois de deixar o governo de um estado poderoso como Minas, teve que se divorciar da mulher. Um desastre que deveria ser moral, mas foi apenas minimamente financeiro. Sua declaração à Receita ficou dezenas de andares abaixo da verdadeira.
Sua confissão à Receita não ultrapassa algumas dezenas de milhões, a ex-mulher, pública e despudoradamente, afirmou: “Os bens de Newton Cardoso ultrapassam os 2 bilhões e 500 milhões”. Isso numa época em que o bilhão não era citado com tanta facilidade quanto hoje. Entramos na era do trilhão, que “Newtão” teria atingido se não tivesse abandonado a vida pública.
###
PS – Em 1998, eu estava em Paris, na Copa do Mundo. Ia almoçar no Bar do Teatro com um amigo que mora lá. Andamos na importante avenida, paramos, ele me mostrou um edifício luxuoso, afirmou perguntando: “Sabe quem tem apartamento nesse edifício? Newton Cardoso”.
PS2 – Para o claro e preclaro Bortolotto, que estranhou o fato de eu ser a favor do cidadão ter um revólver em casa, para “circunstâncias eventuais”, sendo contra armas.
PS3 – No fim do texto, eu terminava dizendo: “Sou a favor dessa arma defensiva em casa, mas não tenho, não uso nem pratico”. Essa confissão foi “devorada”, ficou a impressão da contradição. Minha arma sempre foi a palavra falada e a palavra escrita. A primeira me tiraram logo, a segunda resistiu mais tempo, mas não tanto quanto eu gostaria e seria necessária.
PS4 – O suíço Wawrinka não merecia ter sido derrotado ontem pelo sérvio Djokovic. Este é o número 1 do mundo, mas tão pretensioso e presunçoso quanto Luiz Felipe Scolari. Foram 5 horas e 2 minutos de jogo, 5 sets, 75 games. O jogo acabou em Melbourne, faltando 10 minutos para as duas da madrugada. O estádio lotado (14 mil e 600 lugares), ninguém foi embora.
###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG – A frase do Helio foi “devorada” porque ele a datilografou bem no finalzinho da lauda, e os aparelhos de fax costumam “não ler” a parte inferior das páginas transmitidas. Se após a postagem Helio tivesse me pedido para acrescentar essa frase, é claro que eu o teria feito prazerosamente. Aliás, também defendo a arma defensiva em casa e tenho um revólver Taurus, registrado em meu nome, adquirido na antiga loja Mesbla. É calibre 38, cano curto, com tambor para cinco balas. (C. N.)

Dilma em campanha contra quem?

Carlos Chagas
Semana passada, Piauí. Nesta, São Paulo. Na próxima, Ceará, Paraíba, Alagoas e talvez Sergipe. E não para mais. Em fevereiro, Pernambuco, Paraná, Estado do Rio e Rio Grande do Norte, para começar. Além de visitas a todos os estádios em construção na preparação da Copa do Mundo. Neste ano de 2013, a previsão parece de não deixar uma sexta-feira sem botar o pé na estrada, ou melhor, o Aerodilma para voar.
É ou não é campanha, apesar da necessidade de uma presidente da República marcar presença em todo o território nacional?
No caso, campanha eleitoral. Para quê? Obviamente para a reeleição em 2014. Contra todos os possíveis candidatos já se definindo, de Aécio Neves a Eduardo Campos, a Marina Silva e… E ao Lula, ao menos enquanto ele não cede por inteiro à pressão do PT para lançar-se antecipadamente na sucessão da sucessora. Não de todos os companheiros, mas daqueles do grupo insatisfeito com a limitada atenção recebida da presidente nos últimos dois anos. Porque também existem petistas entusiasmados com a reeleição.
Aqui, a vertente se bifurca. Claro que se o Lula assumir sua candidatura, Dilma não terá como contrariá-lo. Entregará de imediato a vaga, por gratidão, fidelidade e reconhecimento de ser impossível a insurreição. Mas enquanto o chefe não se define, ocupará espaços, buscando manter acesa a chama das promessas do antecessor e o direito natural de disputar o segundo mandato. Coincidente e perigosamente quando se anuncia a volta das caravanas do Lula.
Numa palavra, a presidente está em campanha, vestindo o figurino tradicional de todos os candidatos, inclusive o gibão de vaqueiro do Piauí, que já vestiu. Fica para depois saber se aceitará bombachas no Rio Grande do Sul, cocares em Mato Grosso, bonés da CUT em São Paulo ou do MST em Pernambuco.
JACARÉS EM RIO DE PIRANHA
Mais presença tem o jacaré em nossa realidade, que poderia até ter sido escolhido mascote da Copa do Mundo em vez do insípido tatu. Vitorino Freire dizia que em rio de piranha, jacaré nada de costas. E Juracy Magalhães sustentava dever um ministro ter o couro duro como o do jacaré.
Assim deveriam estar Renan Calheiros e Henrique Eduardo Alves, candidatos às presidências do Senado e da Câmara, debaixo de invulgar bombardeio sobre suas candidaturas. Os mísseis vem sendo disparados pela imprensa, mas a carga explosiva, quem fornece são seus adversários deputados ou senadores.
Não se passa um dia sem que novas e velhas acusações caiam sobre eles, seja em suas atividades como servidores públicos ou como empresários. Essa dicotomia é desastrosa para qualquer parlamentar, já que negócios públicos e privados não deveriam misturar-se, mas quem, no Congresso, irá atirar a primeira pedra?
O mais provável é que ambos se elejam, mas assumirão debaixo de fiscalizações poucas vezes vistas no Legislativo.

Stedile (do MST): Dilma está cega e sendo enganada por puxa-sacos

João Pedro Stedile (Carta Capital)
A sociedade brasileira enfrenta no meio rural problemas de natureza distintos que precisam de soluções diferenciadas. Temos problemas graves e emergenciais que precisam de medidas urgentes. Há cerca de 150 mil famílias de trabalhadores sem-terra vivendo debaixo de lonas pretas, acampadas, lutando pelo direito que está na Constituição de ter terra para trabalhar. Para esse problema, o governo precisa fazer um verdadeiro mutirão entre os diversos organismos e assentar as famílias nas terras que existem, em abundância, em todo o País. Lembre-se de que o Brasil utiliza para a agricultura apenas 10% de sua área total.
Há no Nordeste mais de 200 mil hectares sendo preparados em projetos de irrigação, com milhões de recursos públicos, que o governo oferece apenas aos empresários do Sul para produzirem para exportação.
Ora, a presidenta comprometeu-se durante o Fórum Social Mundial (FSM) de Porto Alegre, em 25 de janeiro de 2012, que daria prioridade ao assentamento dos sem-terra nesses projetos. Só aí seria possível colocar mais de 100 mil famílias em 2 hectares irrigados por família.
Temos mais de 4 milhões de famílias pobres do campo que estão recebendo o Bolsa Família para não passar fome. Isso é necessário, mas é paliativo e deveria ser temporário. A única forma de tirá-las da pobreza é viabilizar trabalho na agricultura e adjacências, que um amplo programa de reforma agrária poderia resolver. Pois nem as cidades, nem o agronegócio darão emprego a essas pessoas.
EXPLORAÇÃO
Temos milhões de trabalhadores rurais, assalariados, expostos a todo tipo de exploração, desde trabalho semiescravo até exposição inadequada aos venenos que o patrão manda passar, que exige intervenção do governo para criar condições adequadas de trabalho, renda e vida. Garantindo inclusive a liberdade de organização sindical.
Há na sociedade brasileira uma estrutura de propriedade da terra, de produção e de renda no meio rural hegemonizada do modelo do agronegócio que está criando problemas estruturais gravíssimos para o futuro. Vejamos: 85% de todas as melhores terras do Brasil são utilizadas apenas para soja/milho, pasto e cana-de-açúcar.
Apenas 10% dos fazendeiros que possuem áreas acima de 200 hectares controlam 85% de todo o valor da produção agropecuária, destinando-a, sem nenhum valor agregado, para a exportação. O agronegócio reprimarizou a economia brasileira.
Somos produtores de matérias-primas, vendidas e apropriadas por apenas 50 empresas transnacionais que controlam os preços, a taxa de lucro e o mercado mundial. Se os fazendeiros tivessem consciência de classe, se dariam conta de que também são marionetes das empresas transnacionais.
DESEMPREGO
A matriz produtiva imposta pelo modelo do agronegócio é socialmente injusta, pois ela desemprega cada vez mais pessoas a cada ano, substituindo-as pelas máquinas e venenos. Ela é economicamente inviável, pois depende da importação, anotem, todos os anos, de 23 milhões de toneladas de fertilizantes químicos que vêm da China, Uzbequistão, Ucrânia etc. Está totalmente dependente do capital financeiro que precisa todo ano repassar: 120 bilhões de reais para que possa plantar. E subordinada aos grupos estrangeiros que controlam as sementes, os insumos agrícolas, os preços, o mercado e ficam com a maior parte do lucro da produção agrícola.
Essa dependência gera distorções de todo tipo: em 2012 faltou milho no Nordeste e aos avicultores, mas a Cargill, que controla o mercado, exportou 2 milhões de toneladas de milho brasileiro para os Estados Unidos. E o governo deve ter lido nos jornais, como eu…
Por outro lado, importamos feijão-preto da China, para manter nossos hábitos alimentares.
Esse modelo é insustentável para o meio ambiente, pois pratica a monocultura e destrói toda a biodiversidade existente na natureza, usando agrotóxicos de forma exagerada. E isso desequilibra o ecossistema, envenena o solo, as águas, a chuva e os alimentos.
O resultado é que o Brasil responde por apenas 5% da produção agrícola mundial, mas consome 20% de todos os venenos do mundo. O Instituto Nacional do Câncer (Inca) revelou que a cada ano surgem 400 mil novos casos de câncer, a maior parte originária de alimentos contaminados pelos agrotóxicos. E 40% deles irão a óbito.
Esse é o pedágio que o agronegócio das multinacionais está cobrando de todos os brasileiros! E atenção: o câncer pode atingir a qualquer pessoa, independentemente de seu cargo e conta bancária.
Uma política de reforma agrária não é apenas a simples distribuição de terras para os pobres. Isso pode ser feito de forma emergencial para resolver problemas sociais localizados. Embora nem por isso o governo se interesse.
DEMOCRATIZAÇÃO
No atual estágio do capitalismo, reforma agrária é a construção de um novo modelo de produção na agricultura brasileira. Que comece pela necessária democratização da propriedade da terra e que reorganize a produção agrícola em outros parâmetros.
Em agosto de 2012, reunimos os 33 movimentos sociais que atuam no campo, desde a Contag até o movimento dos pescadores, quilombolas, MST etc., e construímos uma plataforma unitária de propostas de mudanças.
É preciso que a agricultura seja reorganizada para produzir, em primeiro lugar, alimentos sadios para o mercado interno e para toda a população brasileira. E isso é necessário e possível, criando políticas públicas que garantam o estímulo a uma agricultura diversificada em cada bioma, produzindo com técnicas de agroecologia. E o governo precisa garantir a compra dessa produção por meio da Conab.
A Conab precisa ser transformada na grande empresa pública de abastecimento, que garante o mercado aos pequenos agricultores e entregue no mercado interno a preços controlados. Hoje já temos programas embrionários como o PAA (programa de compra antecipada) e a obrigatoriedade de 30% da merenda escolar ser comprada de agricultores locais. Mas isso atinge apenas 300 mil agricultores e está longe dos 4 milhões existentes.
O governo precisa colocar muito mais recursos em pesquisa agropecuária para alimentos e não apenas servir às multinacionais, como a Embrapa está fazendo, em que apenas 10% dos recursos de pesquisa são para alimentos da agricultura familiar. Criar um grande programa de investimento em tecnologias alternativas, de mecanização agrícola para pequenas unidades e de pequenas agroindústrias no Ministério de Ciência e Tecnologia. Criar um grande programa de implantação de pequenas e médias agroindústrias na forma de cooperativas, para que os pequenos agricultores, em todas as comunidades e municípios do Brasil, possam ter suas agroindústrias, agregando valor e criando mercado aos produtos locais.
BNDES
O BNDES, em vez de seguir financiando as grandes empresas com projetos bilionários e concentradores de renda, deveria criar um grande programa de pequenas e médias agroindústrias para todos os municípios brasileiros.
Já apresentamos também ao governo propostas concretas para um programa efetivo de fomento à agroecologia e um programa nacional de reflorestamento das áreas degradadas, montanhas e beira de rios nas pequenas unidades de produção, sob controle das mulheres camponesas.
Seria um programa barato e ajudaria a resolver os problemas das famílias e da sociedade brasileira para o reequilíbrio do meio ambiente. Infelizmente, não há motivação no governo para tratar seriamente esses temas.
Por um lado, estão cegos pelo sucesso burro das exportações do agronegócio, que não tem nada a ver com projeto de país, e, por outro lado, há um contingente de técnicos bajuladores que cercam os ministros, sem experiência da vida real, que apenas analisam sob o viés eleitoral ou se é caro ou barato…
Ultimamente, inventaram até que seria muito caro assentar famílias, que é necessário primeiro resolver os problemas dos que já têm terra, e os sem-terra que esperem. Esperar o quê? O Bolsa Família, o trabalho doméstico, migrar para São Paulo?
Presidenta Dilma, como a senhora lê a CartaCapital, espero que leia este artigo, porque dificilmente algum puxa-saco que a cerca o colocaria no clipping do dia.

Ideais anticapitalistas e/ou interesse estrangeiro

Gelio Fregapani
Sem a bandeira comunista para se opor ao capitalismo, aos anticapitalistas restou o ambientalismo e o indigenismo, que ao final do século XX, uniram-se formando um movimento contrário a qualquer projeto desenvolvimentista. No Brasil isto é tão forte a ponto de seguir freando por mais de três décadas o processo de desenvolvimento do país.
Foram poucos os projetos de desenvolvimento no Brasil que não esbarraram e estagnaram ante alguma resistência, seja de terra indígena, unidade de conservação, comunidade quilombola ou comunidade tradicional. Raramente, por reivindicações legitimas. Mas são grupos se opondo de forma veemente e sistemática contra qualquer iniciativa ou obra de desenvolvimento. Sempre contrários à aberturas de estradas, ferrovias, hidrovias ou usina hidrelétrica, em grande parte obras que os beneficiariam pessoalmente, fizeram o jogo do grande capital internacional, regiamente recompensados por eles.
A progressiva conscientização da nossa gente já gera animosidade da sociedade brasileira que quer e precisa do desenvolvimento e esses ambientalistas/indianistas sempre nos prejudicam.
QUILOMBOLAS
Interessante esta nova maneira de perturbar o Brasil. Quilombolas, que não são quilombolas nem mesmo seus descendentes, estão sempre reivindicando terrenos estratégicos, tais como o, centro de lançamento de foguetes de Alcântara e a base naval de Aratu, além de terra de outros e de uma cidade inteira (São Mateus, ES) .
Indígenas, que nem sempre são indígenas, sempre fazendo manifestações e impedindo a construção de hidroelétricas, reivindicando terras alheias e outras sobre ocorrências de ricos minérios, fechando estradas, cobrando pedágios etc. Tudo a comando de ONGs ligadas ao estrangeiro.
A política indigenista no Amazonas é ditada pela COIAB, uma ONG anglo-americana que oferece dinheiro para quem se declarar índio e paga aos pais que registrarem os seus filhos como indígenas. Os municípios de Benjamin Constant, Atalaia do Norte, Tabatinga, Tapauá, Autazes, estão quase todos tomados por territórios indígenas, onde não tem índio, só existe índio na mente dos dirigentes da COIAB e da FUNAI.
Na Marambaia (área de experimento de armamento do Exército) tem uma reivindicação quilombola patrocinada pela ONG Koinonia, apoiada por: “Christian AID Norwegian Church Aid, Church World Service, Canadian International Development Agency, United Church of Canada e Church Development Service” (pode ser conferido no site www.Koinonini.org.br).


__________ Informação do ESET Smart Security, versão da vacina 7913 (20130120) __________

A mensagem foi verificada pelo ESET Smart Security.